caixas de gordura devem ser limpas com frequencia
Caixa de gordura: qual a frequência da limpeza? (3/3)
16 Agosto, 2016
fossa septica
Fossa séptica biodigestora: saiba tudo sobre ela! (2/3)
30 Agosto, 2016

Fossa séptica biodigestora: saiba tudo sobre ela! (1/3)

fossa septica

A sustentabilidade é um tema que está muito voga na nossa sociedade, principalmente devido à necessidade de mantermos nossos recursos naturais para as próximas gerações.

Muitas pessoas já se atentaram para essas mudanças e estão a economizar mais água e energia, a reciclar o lixo, a usar menos o automóvel e também a promover uma melhor gestão do esgoto.

Uma realidade em muitos países é a fossa séptica biodigestora, que tem sido usada com resultados animadores por pessoas que residem na zona rural.

O que são as fossas sépticas biodigestoras?

As fossas sépticas biodigestoras são uma forma simples e econômica de tratar o esgoto em zonas rurais. A técnica tem sido amplamente utilizada pela Empraba (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) que está aplicando-a em várias cidades brasileiras e também portuguesas desde 2001.

Mas, antes desse período, essa tecnologia já era utilizada. A primeira fossa séptica biodigestora foi instalada em Bombaim, na Índia, em 1819. Na Austrália, tem-se relatos da sua utilização desde 1911, por uma companhia que produz e industrializa o metano a partir do esgoto.

Como as fossas sépticas biodigestoras funcionam?

O sistema consiste em desviar as tubagens das sanitas para as caixas de amianto, nos quais os coliformes fecais são transformados em adubo orgânico, pelo processo de biodigestão.

A técnica funciona da seguinte maneira: três tanques, conectados entre si, são enterrados para manter o isolamento térmico. Estas caixas de amianto retêm os resíduos sólidos e possibilitam o processo de purificação da parte líquida, eliminando os agentes patogênicos. Dessa forma, o líquido que resulta do processo está livre de micróbios e pode ser usado como adubo.

A recomendação é que essas fossas sejam construídas a, aproximadamente, quatro metros de distância da casa, para evitar os odores desagradáveis. Indica-se, também, coloca-las no nível mais baixo do terreno e distante de poços artesianos e outras fontes de captação de água.

O recomendado é sempre dispor de uma equipa técnica treinada e orientada para a instalação das fossas sépticas digestoras e também para a manutenção adequada do sistema.

Por agora, ficamos por aqui, esperamos que tenha gostado. Continuamos no próximo artigo!

Abrantina
Rua Cidade de Cardiff Nº42 2ºEsq 1170-095 Lisboa
211 914 715
info@abrantina.pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *